domingo, 2 de setembro de 2012

Uma criança e seus heróis #02


Durante vários anos (e até hoje, pra ser sincero), tive como hábito jogar os excelentes jogos da franquia Castlevania. Esta série, produzida pela empresa japonesa Konami, teve games desde a época do Nintendo 8 bits até os dias atuais, no poderoso PlayStation 3. 
A história gira em torno da família Belmont e sua luta contra o Conde Drácula, que a cada cem anos ressuscita para trazer o terror ao mundo. O Belmont da vez, armado com um chicote sagrado, o Vampire Killer, deve adentrar o castelo do vampiro e deter suas tropas demoníacas.
Castlevania tornou-se notório pela grande quantia de jogos, sua qualidade, e pela trilha sonora fantástica, com certeza entre as melhores já compostas para jogos eletrônicos. Mas, ainda mais, pelos personagens icônicos que lançou, como o filho de Drácula, chamado Alucard; Richter Belmont, considerado o mais poderoso herdeiro da família de caçadores, entre outros, bem conhecidos entre os entusiastas de videogames.
Mas o herói que vou ressaltar é especial por ser o primeiro. Em 2002, foi lançado para a plataforma PlayStation 2 o game Castlevania, Lament of Innocence. Neste, é contada a história do primeiro Belmont caçador de vampiros, um romeno que viveu no século XI. E se chamava...

Leon Belmont


Sua vida na cavalaria iniciou aos 16 anos. Em 1094, já com 22 – e uma Cruzada no currículo – era um exímio combatente e um nobre de boa reputação. Mas a sua sorte virou quando sua noiva, Sara, é sequestrada por uma horda de criaturas demoníacas, vindas de uma floresta, onde dizem as lendas, o sol nunca aparece. Contrariando as ordens da Igreja, que planejava uma nova Cruzada no Oriente, Leon abdica do seu título de nobre e parte sozinho para a floresta. Lá se depara com um Castelo, comandado por um vampiro chamado Walter. Assim, inicia uma árdua luta pelo resgate de sua amada, sob a tutela do misterioso alquimista Rinaldo Gandolfi.
Após enfrentar toda a sorte de monstruosidades, Leon finalmente resgata sua noiva, mas o preço a pagar é alto: a mesma foi mordida por Walter e já se encontrava em processo de transformação. Nessa hora, a moça toma uma decisão extrema. Decide se sacrificar, num ritual onde sua alma pura torna-se a força motriz para a única arma que poderia derrotar Walter definitivamente: o chicote, chamado a partir de então, de Vampire Killer. Antes de sua morte, Sara pede a Leon que não permita que ninguém mais sofra o que ela sofreu. Assim, o nobre cavaleiro, sem alternativa, jura cumprir o desejo da noiva, e com o fardo de sua morte nas costas, arma-se do Vampire Killer e derrota Walter. Entretanto, ele descobre uma conspiração muito maior em torno do Lorde Vampiro, envolvendo um antigo companheiro de guerra e a própria Morte, a entidade ceifadora. E daquela noite em diante, o primeiro Belmont jura que o seu clã jamais descansaria até derrotar Drácula, o mentor oculto de todos os terrores que o protagonista passou.
Dentre todos os heróis que tive em Castlevania, escolhi Leon por ser o patriarca. O primeiro, aquele que impulsionou toda uma geração.  Isso pra mim é muito simbólico, vai além de um jogo de ação. Além disso, admiro sua notável abnegação: Leon perde seu título de nobre, perde sua noiva e toda a sua vida quando enfrenta o castelo maldito. E então, torna-se um peregrino, empenhado numa causa muito maior, mais perigosa e ingrata: de caçador. Obviamente, nunca fui – e acredito que nunca serei – um matador de vampiros (risos), mas isto tudo pregou em minha cabeça uma frase que viria a me perseguir vários anos depois: “Servir com renúncia...”
Um jogo de ação simples, um história simples, uma lição simples. Esta foi a representação que tive durante os vários anos em que fui um membro da família Belmont, cada vez que jogava um novo Castlevania. E na minha imaginação, eu podia ser herói. Forte, rápido, sem medo da noite negra, e determinado a um objetivo abnegado: banir uma personificação do mal no mundo. Um legado que começou com um patriarca. Que foi Leon Belmont.


“This whip and my kinsmen will destroy you someday. And from this day on, the Belmont Clan will hunt the night!

Leon Belmont

Um comentário:

Lucas Richter disse...

Boa irmão.
São personagens bem característicos.